A Viagem de Lisboa a Castro Laboreiro - Parque Nacional Peneda - Gerês

-novembro 26, 2017-

A Viagem - Lisboa ao Norte
A semana passada desafiámos-vos a viajar connosco até ao norte de Portugal, este será o primeiro artigo dessa mesma viagem.

Como dissemos, no artigo anterior, escolhemos fazer esta viagem de carro. Decidimos fazer de noite, para evitar as horas de maior calor e de trânsito, e assim podermos viajar de forma mais tranquila, em teoria.

Obviamente que sendo uma viagem de cerca de 8h, fizemos algumas paragens não só para descansar um pouco, como também para podermos visitar alguns locais.

Q.b. à parte: Quando tiverem necessidade de fazerem estas paragens, aconselhamos, que façam em locais considerados seguros, tipo estações de serviço, zonas habitacionais, etc., não encostem simplesmente no “meio” da nacional.



Há pouco disse-vos que tínhamos escolhido fazer a viagem de noite, por poder ser feita de uma forma mais tranquila, em teoria. Certo? Ok, disse isto porque foi das viagens mais atribuladas que já fiz pela nacional. 


Desde pequena que estou habituada a viajar de carro, pela nacional, praticamente todos os anos. Mas nunca me tinha acontecido este tipo de acontecimentos, pelo menos não todos na mesma viagem.


Mas antes de vos contar como foi a viagem em si, falar dos sítios onde passamos, entre outras coisas, que só vão ficar a saber se lerem este artigo todo, deixo  aqui o vídeo da viagem em si:


De uma forma sucinta, tivemos camiões com pouquíssima distancia de segurança em relação ao nosso carro a fazer-nos sinais de luzes. Em estradas em que o limite é 90 km/h e nós íamos a 90/ 100 km/h.

Quando começávamos a reduzir velocidade, devido a estarmos a aproximar de zonas habitacionais e os limites descem para 50 Km/h, essa intensidade de sinais de luzes, etc, aumentava.

Paramos para descansar um pouco numa área de serviço, quando retomamos a viagem ao entrarmos novamente para a nacional, fazendo piscas, tudo como manda a lei do código da estrada.

Vem um camião a uma distancia ainda considerável e começa a fazer sinais de luzes, feito desalmado (a) e apitar. Em vez de reduzir a velocidade, ultrapassou-nos em cima de uma zebra e de uma curva. Nisto reparamos que atrás deste, ainda vinha outro camião que fez exatamente a mesma coisa, apitou, fez sinais de luzes e ultrapassou em cima da zebra e da curva.
Algures na N101
Pouco depois vimos um carro com os 4 piscas ligados, em cima de um cruzamento, estava um homem estendido no chão, e esse mesmo carro com sangue.  

Uns metros à frente estava um camião parado com os 4 piscas ligado. Pensamos será que foi algum dos "malucos" que nos ultrapassou lá atrás… Bem ficamos em saber, como podem calcular não foi das coisas mais bonitas que vimos.

A "diversão" com os camionistas continuou, condução com pouca segurança de distância, sinais de luzes etc., nem mesmo quando começou a chover essa situação acalmou.

Pouco depois, já de dia, numa via rápida em que o limite era de 80 km/h, encostamos à esquerda. Pois íamos sair pouco depois à esquerda, nisto vem um carro bem distante de nós, a buzinar e fazer sinais de luzes para que saíssemos da frente. Ultrapassou-nos pela direita, nós íamos aos ditos 80km/h. Ainda me fazem sinal a dizer que eu era maluca, escusado será dizer que esta pessoa continuou a conduzir que nem uma louca.


Muito honestamente, não sei se tivemos azar na sequência de acontecimentos, ou se, se conduz mesmo assim na nacional de Lisboa – Norte.

Em relação às condições das estradas, não estavam assim tão más, quando comparadas com algumas a sul do nosso país.

No entanto a nível de estações de serviço com wc, as nacionais do sul estão melhor servidas, pode-se dizer que foi difícil de encontrar um wc ao longo de vários quilómetros.

Após esta viagem atribulada chegamos a Arcos de Valdevez, onde decidimos almoçar no restaurante O Braseiro.
Arcos de Valdevez - Photo by: Ellementar
Passeamos um pouquinho por esta linda vila, localizada em Viana do Castelo. Principalmente pelas margens e do rio Vez, mas isso fica para outro artigo.

Ao continuarmos a viagem, reparamos que imos passar por Espanha. Íamos andar entre Parque Nacional Peneda- Gerês e Parque Natural Baixa Limia - Serra do Xurés. Para quem gosta de natureza, sem dúvida alguma que não pode deixar de passar por um destes parques ou por ambos.

Até chegarmos a Castro Laboreiro, Melgaço, localidade pertencente ao PNPG, andamos por estradas com vistas incríveis. Mas ainda bem que as fizemos de dia, pois algumas eram curva, contracurva, espaço só para um carro passar, mas fazia-se nos dois sentidos e sem iluminação.

Finalmente após as “aventuras” na estrada e paisagens de tirar o folgo, que podem ver melhor no nosso vídeo a cima, chegamos a Castro Laboreiro, uma vila encantadora.
Mas sobre isso falaremos mais tarde, em outros artigos.

Castro Laboreiro Parque Nacional Peneda - Gerês - Photo by:Ellementar
Hoje ficamos por aqui, continuem a viajar connosco, para semana sai mais um artigo sobre esta nossa viagem. 

Até lá podem ficar com outros artigos do nosso blog 😉

Pessoal se gostaram deste artigo, podem partilhar nas vossas redes sociais, clicando aqui em baixo.
Mar

Posts Relacionados

1 comentários

  1. Eu fui a Castro Laboreiro, passar o fim-de-semana de S. Martinho.
    Gostei muito, é acolhedor. E a história da terra é divinal.

    Vim cá parar através do grupo All Kind Of Portuguese Bloguers.
    Visita o meu blogue, espero que gostes.

    Beijinhos, A Vida De Diana.

    ResponderEliminar